(11) 5975-4488 | (11) 5975-4369 | (11) 99626-1279 | (11) 94743-3016 - ID: 100*64.887

Efeitos do Álcool

ÁLCOOL

O que é uma dose de bebida?
Podem ser considerados como 1 (uma) dose de bebida alcoólica:

 

02 copos de cerveja (400 ml) ou
01 copo de vinho (200 ml) ou
¼ de copo de bebida destilada (aguardente, uísque, etc.) (50 ml)


Bebida e direção

Pode parecer surpresa para você ouvir dizer que não é preciso beber muito antes de dirigir para que esta habilidade fique prejudicada. Mas, certos aspectos do dirigir, como, por exemplo, uma mudança necessária de faixa ao mesmo tempo em que se troca a marcha e se verifica o espelho checando o veículo de trás, pode ficar prejudicado com concentrações pequenas de álcool no sangue (0,02 % é o suficiente).

Para um adulto de peso regular, de estômago vazio, o nível de álcool no sangue pode subir 0,04 % após duas doses (veja quadro acima). E quanto mais doses alguém consome, mais o nível no sangue sobe e menos capaz este alguém é de perceber que está alterado (não é comum o sujeito que bebeu afirmar, erroneamente, que se sente até mais confiante para dirigir?).


Bebida e medicação

Álcool reage de modo negativo com diversas medicações. Remédios que por si só já causam sedação leve, como alguns para resfriado, alergia, depressão ou insônia, quando tomados ao mesmo tempo em que bebida irão aumentar a sonolência e diminuição dos reflexos. Isto é um prato cheio para acidentes ao lidar com máquinas, cuidar de crianças ou dirigir automóvel.

Outros remédios, como alguns analgésicos, podem levar a dramáticos quadros de lesão no fígado quando tomados com álcool. Cheque com seu médico se qualquer medicação que venha a usar pode ser administrada junto com qualquer quantidade de álcool, mesmo que seja uma simples pílula para dor de cabeça.


Bebida e relacionamentos

Beber pode trazer problemas para lidar com sua família, com seus amigos e até com estranhos. Dentre conseqüências comuns que podem ocorrer com a progressão do uso inadequado de bebidas alcoólicas destacamos:

Brigas ou afastamento do parceiro (a) ou de outro familiar
Tensão no relacionamento com companheiro de trabalho ou escola
Faltar ou se atrasar no trabalho/escola com maior freqüência
Perda do emprego ou diminuição da produtividade
Expulsão ou abandono nos estudos
Cometer ou ser vítima de violência



Bebida e recém nascidos

Se você é mulher e está grávida ou tentando engravidar saiba que seu filho pode nascer com defeitos devido ao consumo de álcool na gestação. O mais grave é uma doença chamada síndrome alcoólica fetal (SAF). Crianças de mães alcoólatras têm mais dificuldades de aprendizado e problemas de comportamento. A SAF pode causar na criança defeitos físicos, retardo mental e problemas de comportamento. Como os cientistas ainda desconhecem que quantidade de álcool pode causar este quadro o melhor é não usar nenhuma quantidade neste período de gravidez.


Bebidas e trabalho

Estudo realizado no ano de 1993 pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo - FIESP sobre os problemas relacionados ao abuso do álcool e outras drogas no ambiente de trabalho, aponta que de 10 a 15% dos empregados têm problemas de dependência, e que este abuso:

É responsável por 3 vezes mais Licenças Médicas que outras doenças;
Aumenta 5 vezes as chances de Acidentes de Trabalho;
Está relacionado com 15 a 30% de Todos os Acidentes no trabalho;
É responsável por 50% de Absenteísmo e Licenças Médicas
Leva a utilização de 8 vezes mais Diárias Hospitalares
Leva a família a utilizar 3 vezes mais Assistência Médica e Social


Bebidas e problemas de saúde á longo prazo

Além dos problemas acima que são causados por beber por curtos períodos, há outros que se desenvolvem lentamente e só são mais evidentes após anos e anos de beber. Em mulheres estes problemas podem se desenvolver em períodos mais curtos e com menores quantidades de bebida que nos homens. O álcool pode afetar muitos órgãos no corpo e então causar os seguintes problemas de saúde muito sérios:

Doenças do fígado: milhares de pessoas no Brasil sofrem devido às doenças no fígado causadas por álcool. Bebedores podem ter hepatite alcoólica ou inflamação do fígado, cujos sintomas são: febre, icterícia (pele, urina e olhos amarelados) e dores abdominais (na barriga) que podem levar a morte se o sujeito não parar de beber. Porém, parando de beber, a situação ainda é reversível. Por outro lado, cerca de 10 a 20 % dos bebedores crônicos desenvolvem o que chamamos de cirrose no fígado, muito mais grave e irreversível que a hepatite por álcool. Mas novamente, parando de beber, mesmo quem já desenvolveu cirrose pode melhorar e sentir-se melhor ao procurar o tratamento. Para alguns casos o transplante de fígado pode ser necessário, embora infelizmente poucos casos consigam doadores e condições de realizar a cirurgia.

Doenças do coração: embora beber cerca de uma dose ao dia, para alguns adultos, possa estar associado a um menor risco de ataques cardíacos, ainda há controvérsia entre os cientistas quanto a esta questão. Por outro lado, já é bem estabelecido que beber pesado por longos períodos aumenta o risco de ter pressão alta, doença do coração e alguns tipos de ataque.

Câncer: bebedores crônicos de grande quantidade têm maior chance de desenvolverem certos tipos de câncer como de boca, de estruturas da garganta (esôfago, cordas vocais, faringe e laringe), de pulmão e de intestino grosso.

Pancreatite: o pâncreas é um órgão do sistema digestivo que produz a insulina que ajuda a regular o nível de açúcar no sangue. Ele também produz os sucos que digerem o que comemos. Quando alguém bebe em demasia pode desenvolver uma inflamação do pâncreas, cujos sintomas incluem dor abdominal e perda de peso, podendo também ser fatal.

Última modificação emQuarta, 30 Março 2016 08:58
  • Avalie este item
    (0 votos)
  • Publicado em Blog

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

voltar ao topo

Visitantes Online

Temos 5 visitantes e Nenhum membro online